Tinha de virar post

Durante uma das aulas que dei semana passada, eu ditei, aos alunos, a tradução de uma frase que tinha “to those” – àqueles. Como de costume, faço observações para algumas palavras, por exemplo: se em alguma tradução houver “têm”, eu sempre falo “Gente, não se esqueçam do chapeuzinho no “e”, porque é plural.” E neste “àqueles”, eu disse: “Usem a crase, please!”.

Um dos alunos, ele já foi avisado que a situação viraria post, e recomendou que sim, olhou confuso para mim e me perguntou onde em “àqueles” deveria estar a crase, assumindo, antes de todos, uma feição de quem estava à borda de gargalhadas. Ninguém conseguiu se conter. Rimos por vários minutos por causa da pergunta – e claro, ninguém estava caçoando de ninguém. O momento foi de uma agradável descontração.

– A crase sempre está na letra “a” – eu disse, sem entrar em detalhes de preposição mais artigo definido feminino. – Quantas letras “a” tem a palavra? – e as risadas continuaram, frenéticas.

Ele baixou a cabeça para olhar pro caderno, movimentou o braço dando a entender que estava a caminho de acentuar a palavra, e neste mesmíssimo momento, o colega do lado esticou o pescoço, claramente em busca de alguma oportunidade que lhe beneficiasse, a de confirmar que tinha, também, entendido o que eu acabara de explicar, ou que não, pois ele não tinha escrito a palavra ainda.

– O que foi? – perguntou o outro, imediatamente tampando a página com o braço direito – Tá querendo copiar a minha crase, é? – como se estivesse na quarta série e quisesse evitar que o coleguinha colasse.

Nesse momento, as gargalhadas de todos nós foram mais que frenéticas, mais que alvoroçadas. E o colega, o do pescoço esticado, disse: “Ele não sabe qual é o acento da crase!” E mais risadas, mais gargalhadas.

– É o acento invertido, Fulano. – falei a ele, que ria mais que todos nós.

Enfim, acredito que o momento, e espero, tenha servido para que ele – eles, aliás – se lembrem de “to those” e de “àqueles”, que pode ser “àquelas” também, para o resto da vida.

Um abraço e um “muito obrigado” àqueles e àquelas que leram esta historinha nossa!

Anúncios

2 Comments

  1. hahahah eu riria muito, junto com vocês. Mas…tá sério isso, né? rs
    Momento tenso de um professor. E vc ainda relembra algumas coisas, dá chances de uma prova mais bem feita…Não adianta saber outra língua sem saber a sua, eu acho.
    Bom semana para você. Espero que divertida como esta aula, proveitosa, descontraída.
    Beijo, Édi.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s