Tu

“Foste uma brincadeira, a de abrir ou de fechar o meu sorriso arredio – a teu bel-prazer

Foste a minha vontade mais secreta, os meus sonhos mais incomuns, depois de cada encontro com o teus olhos e sorriso tolerantes.

Chegaste a ser a minha maior inspiração ao meu despertar de cada dia, por vários e vários, incansavelmente.

Tiveste, sem esforço qualquer, o poder de abalar as mais sólidas das minhas crenças, levando-me a lugares jamais experimentados, desobedecendo a muitas das minhas próprias leis.

Desapareceste, para tornar-te apenas uma lembrança, a única que ficou de ti, aqui, guardada, para, de vez em quando, fuçar a minha fé, sobrevoar a minha vontade de ter vivido tudo no repeat, de lá até hoje.”

(Édi Ribeiro)

Anúncios

6 Comments

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s