O gato que rouba ração

O ventilador estava ao meu lado, aqui no quarto, diretamente na minha cara (porque eu sinto um calor do cacete!), e o barulho que ele faz é praticamente ensurdecedor. Esse ventilador é responsável por várias das minhas confusões mentais – principalmente se alguém chama um dos vizinhos, aqueles que têm a letra “e” com som aberto no nome, e eu penso que estão me chamando. Aqui nesta nova vizinhança, a gente, inevitavelmente, acaba ouvindo até os peidos dos outros. Acreditam nisso? Lá na outra vizinhança, a vizinha era a Edna, e quando alguém a chamava, eu, de lá do fundo, dizia: “Já vou!”  Então aqui, vou eu à janela da sala espiar. Quase nunca é para mim – e quando é, certamente é alguém querendo me vender sofás, colchões ou redes de deitar.
De repente, ouvi um som estranho, misturado ao gemido do ventilador, gemido de uma nota só e contínua, rs. O barulho parou. O barulho voltou. O barulho parou. O barulho voltou.
– Que merda é isso? – me perguntei.
Esperei o barulho. Ele veio. Era um som de algo sendo rasgado.
– Papel? Plástico? – quis deduzir.
Novamente ouço algo sendo rasgado.
– Vou ver o que é isso. – levantei-me com determinação e fui em direção à cozinha.
Nossa! Fiquei boquiaberto com o que vi. Era um gato roubando a comida do Gigio (para quem não sabe, o Gigio é meu cachorro).
Catei um dos meus chinelos e fui, quase que caindo pro lado, como uma vaca que acaba de parir, em defesa da prole, e ao mirar, o gato me viu, correu para a sala e escapou pela janela. E, claro, ficou lá na calçada me olhando. Provavelmente para se certificar de que eu NÃO tinha passado pelo vão da janela também e ido atrás dele, né?
– Sorrateiro! Ordinário! Ladrão! – resmunguei para ele enquanto nos olhávamos.
Voltei à cozinha e, de fato, o saco de ração estava rasgado.
– Você não viu isso, Gigio? – perguntei.
Esse gato entrava pela janela da cozinha antes, quando o Gigio era pequeno. Mas agora que ele cresceu, o gato descobriu uma nova rota, né?

Na minha cabeça, tudo estava resolvido. Vim para cá e resolvi escrever esta história. De repente, ouço o barulho novamente! Ah, não é possível – pensei. Não achei o chinelo. Peguei um pente enorme, e preto, que tem aqui e fui para lá – desta vez, como se estivesse armado com um fuzil. Pronto para uma guerra.

Sim! Havia um gato de novo! Só que dessa vez, outro gato! Deve estar havendo uma assembleia de gatos aqui na frente de casa, ou na vizinhança, ou um tá contando pro outro que sabe onde tem comida. Joguei o pente nele, mas não acertou. Escapou pelo mesmo vão.

Tô à procura do pente preto. Não sei onde caiu.

Danados!
Isso já aconteceu com você, ou algo parecido? 😀

Anúncios

4 Comments

  1. hahahah Perder pente e chinelo não é pouco! Tem que colocar tela, rede, grade, sei lá p que, pq eles não vão dar trela. Ou não deixar o saco de ração a vista. rs
    O quintal da minha mãe tem visitantes noturnos, gatos tb, que comem a ração do cachorro, que insistem em não retirar quando ele acaba de comer. Daí, alguns foram ficando e hoje tem duas gatas adultas, um gato menino e 4 gatinhos bebês. Todos comem ração de cachorro. Só aumentaram a quantidade e se servem numa boa, vivem pacificamente.
    Quem sabe um deles não se “arrancha” por aí e faz companhia ao Gigio?
    Beijo, Édi.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Bem, depois de perder o chinelo, o pente, e o saco da comida do cão…Fiquei sem saber se era pra rir ou curar. Optei por rir, depois de imaginar a cena. Kkkkkkkkkk
    Agora, tive pena do gato q deve miar como eu.:-)
    Abraços, O Miau do Leão

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s