O gato da garagem ao lado

Aqui ao lado, numa garagem, uma gata teve dois ou três filhotinhos.
Eu me dei conta disso porque ouvia miados durante uma parte do dia. Depois paravam. Enquanto estavam quietinhos – pensava eu – ela estava lá amamentando eles. Quando miavam desesperadamente, ela deveria estar pra rua – fazendo o quê? Não sei.
Uma tarde, ouvi o Gigio latindo seu latido grave e veemente, e fui espiar pela janela da cozinha. Vi que a gata estava em cima do muro – e, certamente, paquerando a ração dele. Mas ela, por causa da altura do muro, o que representava proteção, nem se importava com o latido “intimidador”. Ou que tentava intimidar. Bom, na verdade, intimidava, pois ela não se atrevia a descer de lá, né? 😀
Os latidos viraram costume desde então. Isto quer dizer que ela, a gata, tem andado de olho na possibilidade de comer aqui no quintal.
Numa outra tarde, resolvi – porque ouvi miados e ronronadas que pareciam broncas maternas – colocar uma cadeira e subir nela para ver a família felina. Ela estava deitada amamentando os gatinhos (não me lembro se vi dois ou três). Soltou aquele “sibilado” de “não se aproxime”, e eu até me assustei.
Bom, o que aconteceu com o passar dos dias? A gata e parte da prole se foram, e restou apenas um que não consegue sair de lá da garagem. Ele ainda não dá saltos. E mia feito louco, que até eu tô me sentindo incomodado com isso. Ouço “socorro” em seus miados.
Hoje à tarde, ele passou pelo vão que permite vir ao meu quintal (porque andei chamando ele, fazendo “psi-psi-psi” e até falando em falsete “Xinim, Xinim”, rsrs). Pus até ração lá no cantinho. Ele ousou a vir e comer – e eu esperei que o Gigio não o visse, para não intimidá-lo. Só que nas duas primeiras vezes em que pus ração lá, empurrei os grãos para bem lá dentro com receio de o cachorro não deixar ele comer ou comer tudo, sem deixar nada. Mas o danado do Gigio enfiou a pata bem lá no fundo e arrastou todos os grãos para cá e comeu tudo. Nem adiantou gritar com ele.
Então, pus mais ração lá dentro, empurrei bem longe e segurei o Gigio. O gatinho comeu tudo! Coitadinho. Tava morto de fome.
Agora à noite, o gatinho veio ao quintal, quietinho, e me olhava de longe. O Gigio não tinha percebido porque me olhava à janela, na esperança de ganhar comida, como sempre. Pensei em buscá-lo e trazê-lo para dentro da casa. Fui. Fui “discretamente”, e o gatinho não se assustou. O Gigio viu e latiu. Af! O gato sumiu para dentro da garagem de novo. Ele quer vir, mas tem medo do cachorro.
E agora? Eu pensei em pular o muro e pegar ele, mas e se eu caio e me escangalho igual a manga madura quando cai do pé? 😀 

Anúncios

11 Comments

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s