Vem!

Vem!
Dê-me atenção, abraços, mesmo que esporádicos, e conversas à toa
Faça-me, por exemplo, convites bobos, sem muito sentido
Ou qualquer outra coisa que não se assemelhe à rápida satisfação de um pássaro quando para de bicar a água e embora voa, depois da sede – física – matada
Ligue para dizer que está entediado, faça-me propostas improvisadas e incertas
Cause-me suspense, presenteie-me com frios na barriga e confusas vontades
Bata à porta e, se eu não estiver, deixe um bilhete
Surpreenda-me fora de hora
Abrace-me com sorrisos quando vier
Toque meu ombro, faça-me cócegas, fale mais o meu nome
Invente-me apelidos sem cabimento para que nossos risos imcomodem a vizinhança
Faça graça, pare de graça
Vem!
Faça tudo isso e me diga do que me esqueci de dizer aí acima
Aproveite o clima
E vamos, juntos, dar um nome a isso
Fazer valer além disso

Vem!
Instagram: penso.logo.escrevo
Anúncios

Deixe um comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s